As Mama-Bin-Laden e o Terrorismo Cyber-Materno

Então eu andei tendo dois dias de raro ócio e resolvi sentar em frente ao laptop e descobrir mais sobre essa delicada atual fase do Noah, a tal Ansiedade de Separação  que, me parece, bate ali pelos 8 meses.  Nessa fase, a cria finalmente descobre que ama loucamente aquela moça descabelada, de olheiras e camisa do avesso (também conhecida como mãe), gruda no pescoço dela, agarra na barra da saia e fica assim ó:

toddler-cryingOcorre que a Internet, como sabemos, tem o poder de nos desviar de assunto: entramos pra pesquisar sobre carros e terminamos numa loja virtual de insensos da Indonésia. E eis que eu fui me desviando e desviando, lendo blogs, lendo foruns de discussão e fiquei alucinada com que constatei: a mulherada-mãe está pirando o cabeção e fazendo terrorismo! Live! On the Internet!

Heeeeelp!!!!!!!!!!!!

Funciona assim: você pega uma escolha que não a sua e critica, critica, critica, até que a outra mãe, que não teve a mesma escolha que a sua se sinta culpadíssima, como se fosse membra vitalícia do Talibã. Vou exemplificar:

Assunto: Partos (round 1):

– Com a palavra, as Mama-B-L do Parto Natural: “Sua-pilantra, você -é -preguiçosa, mequetrefe -não- quis- fazer- o -dever -de- casa, sua–barriga-tem-ziper-pow!!!-crach!!!!-sock!!!!-kapow!!!!-smash!!!!”

– As terroristas da Cesareana: “Pior-é-vc-feia-chata-desocupada-eu-não-tive-culpa-o-médico-recomendou-vai-catar-coquinho-na-esquina- pow!!!-crach!!!!-sock!!!!-kapow!!!!-smash!!!!”

– E, ainda, as B-L do Parto Humanizado: “Suas-desinformadas-anestesiadas-quem-não-sente-dor-não-merece-ser-mãe-tem-que-sofrer-eu-sou-mais-humana-pow!!!-crach!!!!-sock!!!!-kapow!!!!-smash!!!!”

Assunto: Trabalhar ou Não.

– As mães que não trabalham: “Paaaarem-paaaarem-de-trabalhar-vcs-deixam-com-a-baba-na-creche-que-horror-o-mundo-está-assim-por-causa-de-vcs-o-mundo-vai-explodir-e-vcs-são-as-culpadas-sock-pow-zap-buuuuuum!!!”

-Ao que, as mães que trabalham respondem: “Vai-trabalhar-desocupada-tu-vai-acabar-é-tomando-chifre-chata-chata-de-galocha-sock-pow-zap-buuuuum!!!!!”.

Assunto: Amamentação

– As que amamentam: “Suas-pilantras-preguiçosas-artificiais-vcs-têm-cheiro-de-NAN-vão-arder-no-inferno-cabrum-cataplam-hahahahaha-hahahahaha!!!”

– E a turminha do NAN argumenta: “Pelo-menos-meus-peitos-vão-ficar-intactos-cabrum-cataplam-hahahahaha-hahahahaha!!!”

E por aí vai. Tem a galera da chupeta x não chupeta, cama familiar x Deus me livre, cada um na sua cama, introduzir sólidos assim x introduzir sólidos assado.

Gentem! Vamos parar de terrorismo umas com as outras!? Quem sou eu pra dizer qualquer coisa, desde que virei mãe venho tentando acertar, mas erro MUITO. E tudo bem. Um dia eu chego lá. Ou não.

Eu acho válida a discussão, a pesquisa, os relatos. O que não leva a nada é essa sequência de ofensas e de auto-afirmação, do tipo “eu fiz assim: ou você faz igualzinho ou eu, dona da razão que sou, me viro automaticamente contra você e os seus”. Haja!

Por outro lado, não encontrei muita coisa a respeito de qualidade de vida dos nossos filhos: mais parquinhos, mais praças, bibliotecas infantis, faixas de segurança?! Sério, que tal focar toda essa energia e nosso maravilhoso dom argumentativo de mães pra fazer algo mais produtivo? Como é na sua cidade? O que você poderia fazer?

Essa é a minha campanha: Chega de terrorismo. Usemos a força dos blogs e os super-poderes de mãe para fazer algo construtivo. E chega.

Anúncios

18 Respostas para “As Mama-Bin-Laden e o Terrorismo Cyber-Materno

  1. Hahahaahahaha….
    a verdade é que é uma pena que no final das contas tudo termine em discussão tonta. Eu particularmente acho importante falar sobre parto, amamentação, que carinho não vicia e que nossos bebês não são pequenos tiranos. Mas, não gosto dessa polemica em relação a esses assuntos, já que não se pode generalizar. Cada cabeça é um mundo, e cada história é diferente da outra…. Acho importante informar… sem acusar, sem querer impor, e respeitando o livre arbitrio.
    Obrigada por querer participar da mini campanha. Vou esperar tua história. tá?

    Obrigada e beijo.

  2. ai, ops… hehehehe Vc já mandou a tua história, mas eu apaguei teu comment, só pra fazer suspense, viu? Adorei as dicas, super uteis!
    publico na semana do aleitamento.
    mais uma vez, muito obrigada.

    to na correria, mas depois volto aqui com calma pra conhecer melhor teu blog. Ok?

    outro beijo

  3. Concordo plenamente!!!

    Vc esta certissima, todo mundo eh PHD em dizer q os outros fazem errado, e quem somos nós para apontar os dedinhos? Sejam eles virtuais ou nao, o q vale eh a gente aprender e fazer o melhor q pudermos com nossos filhos, e nesse aprender trocar informaçoes, pesquisas eh super valido e importante mas constataçoes pessoais nao sao verdades absolutas, sao experiencias unicas e pessoais.
    Complicado, ne? Tanta discussao e no final ninguem nunca eh super mae pq isso nao existe, perfeito eh irreal! hehe

    Eu gosto de ser erradinha do meu jeito, tô acertando aqui com a cria!hehe

    Beijocas, adorei seu blog!

  4. Ah, esqueci, seu Noah eh lindo! 😀

  5. Olá, cheguei aqui através do blog do astronauta e simplesmente AMEI esse post. Sou super a favor de informação sobre os benefícios de cada ponto de vista, mas simplesmente detesto essas polêmicas.
    beijos, Renata

    • Oi Renata! Obrigada pelo seu comentário. Olha, eu também acho que o radicalismo, alem de não ser construtivo, nos faz sentir ainda mais culpadas (como se mãe e culpa já não andassem agarradas, de mãos dadas, um horror!) Um beijo, prazer e até mais!

  6. Roberta, fantástico este texto! Acho discutir muito valido, mas amassacrar quem não fez/ não consegue fazer o que vc fez é terrível. Concordo: vamos usar esta força para promover mudanças na nossa cidades, vamos frequentar espaços públicos, vamos nos preocupar também com as relações dos nossos filhos com a comunidade, afinal estas discussões todas são de foro íntimo, sobre fatores (importantes, é claro) que acontecem dentro de casa. Mas a vida, sabemos, é da porta pra fora. E agora?
    Beijos (vou te linkar, viu?)

  7. Oi, Paloma, obrigada! E é isso mesmo, vc tocou no ponto principal: como melhorar o cenário da porta pra fora? Blogando sobre assuntos desse tipo e perdendo menos tempo julgando outras mães. Afe, vamos nos deixar em paz, né não?! Beijo e prazer!

  8. Roberta, você é meu orgulho !
    Informação (de qualidade) é tudo, mas cada caso é um caso e é importantíssimo respeitar as diferenças.
    É o caso da indicação de médicos. Eu amo Dr fulano de Tal e indico para minhas amigas. Umas amam e outras simplesmente detestam… Fazer o quê? Respeitar, né? Nem sempre o santo de um bate com o santo de outro (risos)
    Acredito plenamente que a informação ampla e irrestrita é o melhor caminho para uma decisão adequada a cada mulher, a cada família.
    bjs com saudade,
    Aline Melo

  9. Roberta querida,
    faço minhas as palavras de Aline: você é meu orgulho!
    A gente pode dar dicas, mas cada caso é um caso que depende de inúmeros fatores: da história pessoal de cada um ao longo da vida, do momento pessoal específico, do momento do mundo, etc, etc. E cada escolha tem que ser compreendida e não acusada.
    Vê você: por décadas ensinou-se que o melhor era botar o bebê de bruços para dormir. Depois, que era sobre o lado direito. Agora se descobre que dormir nessas posições favorece a morte súbita infantil. Fui pesquisar para entender pq: é que o bebê fica respirando mais o próprio ar que ele exalou e fica sem oxigênio e pode morrer.
    Entendi e passarei a recomendar assim,
    Aliás entrem no site da Pastoral da Criança que tem todas as referências sobre este tema lá. Beijos, Vitoria

  10. Oi, Roberta (nome lindo o seu rsrs), acabei de descobrir seu blog por meio do blog da Paloma e ADOREI. Tem umas mães xiitas que adoram rotular as pessoas e dizer que aquelas que pensam diferente não são filhas de Deus ou não merecem ter filhos ou merecem sofrer para o resto da vida.
    Adorei a forma divertida como você abordou o assunto. Parabéns!
    Roberta (www.meuprojetinhodevida.blogspot.com)

  11. Adorei o post!
    É a mais pura verdade!
    O pessoal adora fazer um terrorismo na gente (maes de 1a viagem) e descrevem a maternidade como algo complicado e infeliz, e como é ao contrário!
    Pra todas as gravidas e mamaes novas q eu encontro falo “é mais facil do que a gente imagina. Vc vai tirar de letra” e geralmente elas respiram aliviadas.
    Parabéns pela maneira divertida que vc escreveu algo sério!

  12. Oi Roberta, adorei o texto. Super concordo com vc. Vou adotar o termo mãe Talibã rssss.

    Beijosssss

  13. hahahaha! fiquei imaginando os quadrinhos que poderiam ter acompanhado teu texto!
    ótimo!
    acho que a flávia comentou bem: discutir esses assuntos é super importante, tornar-se dona da verdade e massacrar todo o resto, never!
    beijo, pouco a pouco vou conhecendo o blog todo!
    thaís

  14. E afinal, como foi a crise da separação?
    Arthur está prestes a entrar nessa fase dita “tenebrosa”….

  15. Adorei o texto! Graça a deus ainda não sofri nenhum ataque de uma talibã! Bj, Adri

  16. Adorei o que você escreveu. É bem assim mesmo. A internet é cheia de donos e donas da verdade. Cheguei aqui pelo blog do Astronauta (que eu amo ler também). Vou linkar você. Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s