Arquivo do mês: maio 2009

Heading South

Minha gente bonita, estaremos viajando pelos próximos 8 dias. Mala cheia de casacos, meias e botas , e com o coração precisando ser aquecido, já que maridão ficará por aqui. Serão dias de reencontros e descobertas, família grande e cheiro de mato, frio de lascar e café com gosto de casa.

Pra você, filhote será, além de tudo, conhecer a família que é sua, mas que você ainda não conhece. Você vai ser muito abraçado e beijado, vai sentir novos cheiros, vai descobrir sotaques.

E se comportar como um príncipe no avião, sorrir pra aeromoça e só acordar 3 horas depois, combinado? 

 

Porque super bebês sempre se comportam no aviaão, viu filho?

Porque super bebês sempre se comportam no avião, viu filho?

Ds coisas que você não sabia antes de ser mãe

– Ok. Você idealizou o parto de cócoras, fez respiração cachorrinho, repetiu mantra e fez despacho. No entanto, as coisas não saíram bem como planejadas. Não faz mal, relaxa. Parto é nascimento do seu filho e, no final, vai ser maravilhoso de qualquer maneira. Te juro.

– Eu fui uma daquelas malucas que se apaixonou pelo bebê assim que olhou pra ele.  Fiquei cega de amor desde o primeiro minuto e arrumei encrenca com a berçarista que só queria levar o rapaz pra tomar banho. Mas pelamordedeus, não se culpe se esse amor não acontecer de imediato. Espera. Para algumas mulheres demora um pouquinho mais. Mas nem por isso se torna um amor menos explosivo e devastador, no final das contas.

– Eu pensei que fosse só comigo, mas depois ouvi de um montão de outras mulheres: parir dá um barato esquisitíssimo, você fica elétrica pelos primeiros 5 dias depois do parto. Parece que tomou um chá daqueles que monge não toma. Alucinada, você aponta pra própria barriga e ri que se acaba; puxa o cabelo do nenê e se esconde ; pisca pro zelador do prédio. Fora da casinha total.

– Passados os 5 dias de  euforia, bate a deprê. Eu lembro de olhar pro nada e dizer chorando “meu bebê acordou”…E depois chorar de soluçar, repetindo  “ele dormiu, meu bebê dormiu”.  Uma Amy Winehouse de sutian beige.

– No primeiro mês você vai fazer tudo pela metade: lavar só metade do cabelo, comer metade do prato, fazer meio xixi. Parece que você nunca mais terá tempo pra fazer nada. E aliás esse é um dos mistérios da maternidade: se aquela criaturinha que recem nasceu dorme cerca de 15, EU DISSE 15 horas por dia, como é que, AINDA ASSIM, você desenvolve uma prisão de ventre crônica sob o pretexto de não ter tempo de ir ao banheiro? Tem dó.

– Os três primeiros meses são difíceis, mas eles passam voando e você vai até sentir falta deles. Apesar de que…não, acho que não.

– Você está fadada a rever todos os seus conceitos, opiniões e teimosias. Nada daquilo que acreditava tão firmemente é tão verdade que não possa ser substituído por outra verdade, que não a sua. Relaxa, aceita, respira. Quando se está grávida, é fácil acreditar que o bebê vai mamar de 3 em 3 horas, dormir de 4 em 4 e que você vai parar de trabalhar  por anos, só pra ficar com ele.  Mas daí ele nasce. E as coisas complicam. E daí, minha irmã, melhor aceitar que nem tudo será da maneira que você esperava. E que crenças pré nascimento são como promessas de fim de ano: they ain’t gonna happen, darling.

– Você vai rir com o riso e chorar com a tosse.

– Vai se descabelar com a febre.

– Vai ligar pro pediatra com a fralda em mãos e dizer:

“Alô doutor, é que o cocô tá mais mostarda que o de costume…Que? O senhor tá jantando?” ;

– Vai se acabar de chorar ao ver tragédias do mundo na tv.

– Vai descobrir que consegue sobreviver dormindo 5 horas por noite; E que a mulher é mesmo multi-uso: consegue amamentar, fazer as unhas, arrumar a sala e falar mal da Xuxa ao mesmo tempo.

– Que não existe outro ser com o cheiro do seu nenem. Com o sorriso do seu nenem. Que não existe outro nenem como o seu nenem. E que ele geralmente é mais lindo e inteligente que todos os outros.

– Vai acreditar em todo aquele clichê de amor incondicional e morrer por alguem. Tudo verdade.

 

Acima de tudo, vai descobrir que alguns momentos da vida, deveriam ser imortalizados
IMG_1924IMG_1925IMG_1927

Starting Young

IMG_1856

What a charming lil' thing

que trombadinha mais feliz!IMG_0350

Papo de mãe, quem aguenta? (só outra mãe – e olhe lá)

Funciona assim: você se torna mãe e automaticamente  perde a capacidade de manter uma conversa que ultrapasse a barreira das fraldas. Nem suas amigas acreditam na transformação: onde foi parar aquela pessoa tão interessante que falava de moda, viagem e economia? Pois bem, essa pessoa morreu. No lugar dela vive agora uma chata de galocha que só faz falar de creche-fralda-cocô-mole-duro-amarelo-senta-engatinha-fala-gugu-dada-cabelo-tá-mais-claro-berço-assadura-pediatra-mamar-mamadeira-papinha-sling-canguru-carrinho-babá-catarro-baba-pum.

Sua amiga  liga de Nova Iorque:

– Nossa, ontem fomos a um bar no Meat Market, foi super legal! Restaurante ótimo, recomendo.(…)tomamos duas garrafas de vinho tinto, dançamos,(…) voltamos pra casa as 6 da manhã, tomei banho e fui direto trabalhar…

Ao que você responde:

– Legal. Creche-fralda-cocô-mole-duro-amarelo-senta-engatinha-fala-gugu-dada-cabelo-tá-mais-claro-berço-assadura-pediatra-mamar-mamadeira-papinha-sling-canguru-carrinho-babá-catarro-baba-pum.

Meu Deus, que mulher interessante.

Isso sem falar que a calça 38 não passa nem no tornozelo.